terça-feira, 30 de outubro de 2007

A Arrábida é o resultado do erguer do calcário que está por baixo de nós. Nela ele resplandece à superfície. A estrutura óssea da arrábida é o calcário branco, imaculado. À superfície ele altera-se em terra rossa, a carne da serra, que dá vida à vegetação verde que a reveste e protege. O sangue é a água. A água das chuvas que se infiltra. esta água já ligeiramente acidificada na atmosfera rica em CO2, ao penetrar no solo ainda é mais enriquecida por este gás que a transforma num ácido ligeiro, o carbónico. Este por sua vez infiltra-se nas pequenas fissuras do calcário, dissolve-o e pode formar grutas imponentes. Quando a água fica saturada em carbonato de cálcio atinge o revez do ponto do equilíbrio e começa a precipitá-lo e aí vemos as belas concreções das grutas que só a Arrábida nos sabe brindar...o exemplo mais belo recentemente descoberto é a Gruta do Frade...magnífica! Mas a Arrábida tem os seu problemas, para além da crescente ocupação urbana, o maior problema são os câncros que a assolam...as pedreiras e são muitas e grandes, avassaladoras, destrutivas e definitivas...

Sem comentários:

Enviar um comentário